Tempo de Antena do PPM - Legislativas 2009

Este espaço destina-se a  apresentação e debate sobre os movimentos político-monárquicos.

Moderador: Beladona

Nuno Cardoso da Silva
Utilizador
Utilizador
Mensagens: 60
Registado: 17 de junho de 2007 às 17h21

Mensagem por Nuno Cardoso da Silva »

Em 1987, quando era Presidente do PPM, Gonçalo Ribeiro Teles, o PPM teve 23.218 votos.

Em 1991, quando era eu o Presidente do PPM, os votos obtidos foram 25.216.

Em 2009, com Nuno da Câmara Pereira na Presidência, o PPM teve 14.999 votos.

Foi em 1991 que o PPM teve a última oportunidade de entrar na AR por seu próprio pé, mas muitos monárquicos, convencidos de que se restaurava a Monarquia votando em partidos republicanos (PSD e CDS), inviabilizaram essa possibilidade e ainda se sentiram orgulhosos por isso...

Hoje já o PPM não tem qualquer possibilidade de recuperar o terreno perdido, sobretudo quando os monárquicos insistem em amarrar-se a pretensões ao Trono totalmente descabidas, seja a do Duque de Bragança, seja a do Marquês de Loulé, ou seja a de qualquer outro.

Hoje, a única possibilidade seria a de fundir o PPM com o MPT e com, talvez, o PH, na base de um compromisso político que incluísse:

1. Preferência pela restauração da Monarquia, sujeita a referendo nacional e com o futuro Rei a ser designado em Cortes Gerais.

2. Elaboração de um programa que tivesse como objectivos a preservação do ambiente e do equilíbrio ecológico, a inclusão social plena, o fomento de uma alternativa económica baseada nas empresas cooperativas, na participação dos trabalhadores na gestão das empresas e na nacionalização da banca, que deverá deixar de ter fins lucrativos.

3. Prioridade à recuperação da capacidade produtiva nos sectores primário e secundário, nomeadamente na produção de alimentos, no desenvolvimento das actividades ligadas ao mar (pesca, transportes, produção de energia, construção e reparação naval, etc.) e da produção de energias alternativas.

4. Prioridade também à qualificação e formação dos quadros médios e superiores, das empresas privadas e do sector público, como forma de incentivar a qualidade produtiva e a competitividade externa.

Desde que apoiada por um número suficiente de quadros políticos competentes, esta fusão poderia esperar vir a eleger deputados e a tornar-se numa alternativa governativa a prazo.

Mas atenção . Um tal projecto não cai do céu. É preciso trabalhar muito para o realizar.

Nuno Cardoso da Silva

Avatar do Utilizador
iznoguud
Regente
Regente
Mensagens: 2768
Registado: 23 de abril de 2007 às 09h40

Mensagem por iznoguud »

Nuno Cardoso da Silva Escreveu:Em 1987, quando era Presidente do PPM, Gonçalo Ribeiro Teles, o PPM teve 23.218 votos.

Em 1991, quando era eu o Presidente do PPM, os votos obtidos foram 25.216.

Em 2009, com Nuno da Câmara Pereira na Presidência, o PPM teve 14.999 votos.

Foi em 1991 que o PPM teve a última oportunidade de entrar na AR por seu próprio pé, mas muitos monárquicos, convencidos de que se restaurava a Monarquia votando em partidos republicanos (PSD e CDS), inviabilizaram essa possibilidade e ainda se sentiram orgulhosos por isso...
Problema que hoje, ainda se sente.

Os monárquicos NÃO querem trabalhar, querem que alguém trabalhe por eles e querem que estes produzam resultados, preferencialmente sem que tenham de levantar os seus mui dignos rabinhos do sofá (perdoem-me a expressão ).

Temos, no monarquicos.com, procurado fazer de tudo para que convençamos TODOS os monárquicos a se sentarem à mesma mesa e a procurarem por CONSENSOS entre aquilo que defendemos. Consensos estes que permitiriam que a Causa Monárquica pudesse avançar rumo a um eventual momento no qual os Portugueses se revissem num Regime Monárquico e então DEMONSTRASSEM tal desejo de mudança, por forma a que este se tornasse INEVITÁVEL.

Mas tal implica DISPONIBILIDADE por parte de TODOS e não apenas de alguns, como tem acontecido até agora.

Não é com maiorias, por maiores que estas sejam, que lá chegaremos. É com a capacidade de podermos ser capazes, e humildes, de nos juntarmos TODOS e conseguirmos retirar um resultado de tal encontro.

A República TREMERIA se tal encontro se realizasse e produzisse resultados palpáveis.
Nuno Cardoso da Silva Escreveu:Hoje já o PPM não tem qualquer possibilidade de recuperar o terreno perdido, sobretudo quando os monárquicos insistem em amarrar-se a pretensões ao Trono totalmente descabidas, seja a do Duque de Bragança, seja a do Marquês de Loulé, ou seja a de qualquer outro.

Hoje, a única possibilidade seria a de fundir o PPM com o MPT e com, talvez, o PH, na base de um compromisso político...
::clap:: ::clap:: ::clap:: ::clap:: ::clap::

Completamente de acordo e a subscrever as palavras do Prof. Cardoso da Silva.
Nuno Cardoso da Silva Escreveu:...que incluísse:

1. Preferência pela restauração da Monarquia, sujeita a referendo nacional e com o futuro Rei a ser designado em Cortes Gerais.
::clap:: ::clap:: ::clap::
Nuno Cardoso da Silva Escreveu:2. Elaboração de um programa que tivesse como objectivos a preservação do ambiente e do equilíbrio ecológico, a inclusão social plena, o fomento de uma alternativa económica baseada nas empresas cooperativas, na participação dos trabalhadores na gestão das empresas e na nacionalização da banca, que deverá deixar de ter fins lucrativos.
Considero importantes a preservação do ambiente e do equilíbrio ecológico assim como de uma inclusão plena de carácter social.

Considero de uma importância TREMENDA que se procure uma alternativa económica, seja esta baseada nas empresas cooperativas ou não . Igualmente considero de TREMENDA importância a participação dos trabalhadores em reuniões com a gerência das empresas por forma a que, seja facilitada a compreensão entre ambas as partes por forma tanto a tentar-se promover a salvaguarda dos postos de trabalho e da melhoria das condições de trabalho, enquanto se procura minimizar o impacto negativo de tal nas vendas e preços dos "productos" das mesmas empresas.

Creio que é preciso PERCEBER que não pode haver cedências APENAS de um dos lados. Cada lado tem o seu quê de razão e pode-se ou melhor ainda tem-se a OBRIGAÇÃO de se promover SALVAGUARDAS que permitam tanto a melhoria das condições dos trabalhadores como das margens de lucro dos produtos empresariais.

No meu entender deveria-se promover um mercado PROTECCIONISTA Europeu, onde a produção interna (a qual deveria ser regrada por uma aproximação REAL ao nível das condições de trabalho) implicasse um aumento das taxas e impostos relativos a TODA a produção externa à U.E. por forma a igualar os preços destes aos dos produtos Europeus. Tal permitiria que produtos de igual categoria pudessem lutar em igualdade de termos e então ganhar aquele que possuísse maior QUALIDADE.

Da mesma forma creio que a Banca deveria PERDER os direitos de que hoje é detentora e ser tratada de igual para igual, como se de outra empresa fosse.

É VERGONHOSO que a Banca tenha MILHÕES de LUCRO enquanto cidadãos se arriscam a perder as suas Casas devido à crise internacional, sendo que ainda por cima os primeiros têm acesso a Taxas inferiores às dos segundos. "Isto" tem de acabar.

Da mesma forma muitas mais coisas deveriam ser alteradas. Mas tal é uma conversa para outra situação . Aplaudo assim PARCIALMENTE este ponto do Prof. Cardoso da Silva.
Nuno Cardoso da Silva Escreveu:3. Prioridade à recuperação da capacidade produtiva nos sectores primário e secundário, nomeadamente na produção de alimentos, no desenvolvimento das actividades ligadas ao mar (pesca, transportes, produção de energia, construção e reparação naval, etc.) e da produção de energias alternativas.
Creio que é de salientar a NECESSIDADE de procurar assegurar a paridade, se possível, mas pelo menos alguma da capacidade produtiva de géneros alimentares para que sejamos de nos manter o mais capazes, o possível, autónomos face a terceiros.

INFELIZMENTE temos de ter a noção de que, devido ao crescimento substancial da Humanidade e do gasto dos recursos naturais. É IMPERATIVO investir, proteger e implementar medidas que sirvam para SALVAGUARDAR a diversidade das espécies, proteger as mesmas para que estas tenham capacidade de se voltar a multiplicar e ao mesmo tempo procurar por alternativas que permitam, enquanto as espécies são protegidas e salvaguardadas, a substituição parcial das mesmas.

Esta medida, bastante radical, implica uma MUDANÇA nos hábitos e costumes Nacionais e até Europeus (falarei APENAS até ao nível da Europa), mas a mesma se CONVENIENTEMENTE explanada encontrará eco nas diversas Nações Europeias dadas a proximidade Sócio-Cultural e ao Projecto Comum de tentarmos ULTRAPASSAR os traumas do Passado e de criar para TODOS os Europeus um espaço no qual possamos coabitar enquanto Europeus e SEM perdermos os nossos traços enquanto Povos individuais.

Volto, assim a aplaudir a proposta do Prof. Cardoso da Silva, mas novamente com reticências.
Nuno Cardoso da Silva Escreveu:4. Prioridade também à qualificação e formação dos quadros médios e superiores, das empresas privadas e do sector público, como forma de incentivar a qualidade produtiva e a competitividade externa.

Desde que apoiada por um número suficiente de quadros políticos competentes, esta fusão poderia esperar vir a eleger deputados e a tornar-se numa alternativa governativa a prazo.

Mas atenção . Um tal projecto não cai do céu. É preciso trabalhar muito para o realizar.
::clap:: ::clap:: ::clap:: ::clap:: ::clap::
Nuno Cardoso da Silva Escreveu:Nuno Cardoso da Silva
Prof. Cardoso da Silva... creio que este seu post marca o início daquela que poderá ser uma marcha de regresso a um vincar de posição e de luta em prol de um ideal que a TODOS nos motiva.

Podemos contar consigo?

IzNoGuud

Nuno Cardoso da Silva
Utilizador
Utilizador
Mensagens: 60
Registado: 17 de junho de 2007 às 17h21

Mensagem por Nuno Cardoso da Silva »

Caro Iznoguud,

Uma eventual colaboração minha dependerá sempre de se conseguir previamente um acordo para a fusão do PPM, do MPT e do PH. Não se podendo contar com a actual direcção do PPM, o compromisso de fusão teria de ser assumido por um número suficiente de monárquicos que, depois, pudessem candidatar-se à direcção do PPM.

De facto, só reunindo os três partidos numa nova formação política, que preserve a hipótese da Monarquia e tenha um cunho fortemente social e ecológico, poderá haver ainda uma possibilidade de ter influência política no nosso país, e de eleger deputados à AR.

Quando quiser podemos conversar sobre isto.

Um abraço

Nuno Cardoso da Silva

Avatar do Utilizador
iznoguud
Regente
Regente
Mensagens: 2768
Registado: 23 de abril de 2007 às 09h40

Mensagem por iznoguud »

Nuno Cardoso da Silva Escreveu:Caro Iznoguud,

Uma eventual colaboração minha dependerá sempre de se conseguir previamente um acordo para a fusão do PPM, do MPT e do PH. Não se podendo contar com a actual direcção do PPM, o compromisso de fusão teria de ser assumido por um número suficiente de monárquicos que, depois, pudessem candidatar-se à direcção do PPM.

De facto, só reunindo os três partidos numa nova formação política, que preserve a hipótese da Monarquia e tenha um cunho fortemente social e ecológico, poderá haver ainda uma possibilidade de ter influência política no nosso país, e de eleger deputados à AR.

Quando quiser podemos conversar sobre isto.

Um abraço

Nuno Cardoso da Silva
O meu caro Prof. Cardoso da Silva tirou da minha boca as palavras que eu pensava, de seguida, aqui expor.

Irei-lhe mandar então uma Mensagem Privada relacionada com este assunto.

IzNoGuud

Luzíadus
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 742
Registado: 8 de janeiro de 2009 às 06h11
Localização: Olhão - Reino do Algarve

Mensagem por Luzíadus »

Aqui está o tempo de antena do PPM no minuto 3:07 :

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=G7n1x163GCk[/youtube]

Avatar do Utilizador
iznoguud
Regente
Regente
Mensagens: 2768
Registado: 23 de abril de 2007 às 09h40

Mensagem por iznoguud »

Caro Luzíadus,

Penso que o meu caro saiba que o vídeo em causa já tinha sido exposto no monarquicos.com e que para além disso já tinha sido comentado, inclusive por mim.

Pergunto-lhe assim sobre o que é que AGORA o meu caro pretende dizer com o seu último post?

Igualmente não sei se se apercebeu, mas estamos a tentar fazer algo sério e novo com o PPM. Quase que estava tentado a perguntar-lhe se estaria interessado em participar, mas prefiro perguntar-lhe se o meu caro pretende participar neste Projecto Monárquico ou não ?

IzNoGuud

Responder