Entrevista a Sua Excia. D. Pedro Folque de Mendoça, Duque de Loulé

Área dedicada à apresentação e ao debate das entrevistas concedidas ao monarquicos.com

Moderador: Beladona

Paulino B. Fernandes
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 373
Registado: 26 de março de 2008 às 12h55
Localização: Lisboa
Contacto:

Mensagem por Paulino B. Fernandes »

Caros IzNo, Pedro Reis e Sequeira
Já o referi ao IzNo em mensagem:
. Excelente entrevista.
. Entrevista oportuna.

Finalmente o Senhor D.Pedro Folque assume uma posição .
No que se refere à Sua disponibilidade pessoal e à contestação a D.Duarte, de acôrdo.
Faz bem.
Gostei da solidez das respostas em diferentes domínios.
Há partes que mereciam mais detalhe, nomeadamente as reuniões existentes nas viagens e encontros com Dom Rosário de Bragança, as quais, efectivamente tiveram outra amplitude e alcance.
Mas compreendo também que D.Pedro Folque foi sensato como aliás o considero e, na verdade, há matérias difíceis de abordar e não oportunas.
Para mim, o importante mesmo, é a reintrodução do tema, a questão de D. Duarte Pio e a abertura de nova frente que desejo nos leve um dia a um ponto de equilíbrio e favorecimento para a CAUSA que todos defendemos.
Não sou tão péssimista como o Companheiro Sequeira e ainda acredito que em nossa vida alguém nos possa guiar, que mereça o nosso respeito e seja polarizador de um optimismo que se foi perdendo mas que urge encontrar.

Nas futuras Cortes, resolveremos as questões.
As coisas mudaram e o Sequeira esteve bem ao lembrar o caso da Suécia...os anos passaram, os hábitos e, de todos, o único que defendo deva ser previligiado é a educação e a capacidade de discernimento.

* Citação
IzNo pergunta:

"A minha questão é a seguinte. Portugal nasceu de uma quebra de palavra/honra ou D. Afonso Henriques ao evitar prestar tal juramento "libertou-se" do mesmo legitimamente?"

Em minha opinião de uma quebra de palavra justa e em homenagem ao Seu/nosso País.
Esteve bem El Rei D. Afonso Henriques.
Cordialmente,
Saúdo todos os Monárquicos independentemente das suas posições relativamente aos problemas da Causa.

Serieiro
Utilizador
Utilizador
Mensagens: 22
Registado: 23 de julho de 2008 às 15h24

Mensagem por Serieiro »

Bem, pelo menos este é Duque e não um qualquer tipinho que julga que os portugueses serão burros.
Não considero que «faça frente» a D. Duarte mas pelo menos haverá que admitir que D. Pedro tem carácter e estatuto que lhe permita apresentar-se em Cortes.

Luzíadus
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 742
Registado: 8 de janeiro de 2009 às 06h11
Localização: Olhão - Reino do Algarve

Mensagem por Luzíadus »

Então mas o Duque de Loulé não tinha abdicado dos Direitos da Coroa??

Pedro Reis
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 586
Registado: 11 de maio de 2007 às 17h12
Localização: Santa Cruz

Mensagem por Pedro Reis »

Luzíadus Escreveu:Então mas o Duque de Loulé não tinha abdicado dos Direitos da Coroa??
Elabore lá mais um pouco s.f.f.

Devo ter saltados essas folhas no que tenho lido acerca das objecções à casa de Loulé, pois desconheço tal facto.

Patena
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 678
Registado: 17 de junho de 2008 às 19h08

Mensagem por Patena »

Quero saudar Sua Alteza Serenissima o Duque de Loulé pela excelente entrevista ao monarquicos.com
Esta entrevista comprova o que há muito vimos afirmando, ou seja que o reino faz de conta de Duarte Pio está a dar as ultimas badaladas.
Começou com o afastamento do referido Senhor Duarte Pio das cerimónias oficiais, depois o afastamento dessas mesmas cerimónias oficiais quando da visita de monarcas estrangeiros.
Depois a perda de diversos processos, tais como o do deputado Nuno da Camara e a questão da ordem de S. Miguel etc, processos de direito de autor onde a fundação de Bragança colocou o Sr. Duarte Pio no seu devido lugar e ainda uma tomada de posição forte da Ordem de Malta que já se distanciou do Sr. Duarte Pio.
Está para breve o desfecho da questão da nacionalidade e tudo aponta para que o Sr. Duarte Pio irá ver a sua nacionalidade anulada por padecer de vicio de nulidade devido ás falsas declarações de seu pai aquando dos respectivos registos.
Tudo isto para dizer que se o Sr. Duarte Pio não estivesse mais para lá do que para cá, não acredito que D. Pedro de Loulé tivesse dado uma entrevista tão dura e demolidora para a posição de Duarte Pio, vinda de um ramo da Casa de Bragança que está hoje de costas largas com a aproximação de ex apoiantes de Duarte Pio a esta casa e também à causa de D. Rosário.
Quanto à questão dos encontros em Itália e a divulgação das fotografias o Sr. D. Pedro transmitiu algumas imprecisões
Por exemplo diz sic:
D. Pedro Folque, Duque de Loulé Escreveu:acabaram por ser publicitadas da maneira ardilosa que se conhece.
Quando todos os nossos leitores se recordam que essas fotos apenas surgiram na sequência de um forte ataque contra a pessoa de SAR. D. Rosário que como D. Pedro diz:
D. Pedro Folque, Duque de Loulé Escreveu:tiradas no âmbito de uma visita turística que nos foi, amávelmente, proporcionada e guiada pelo Sr. Poidimani
E foi pelo facto de não se compreender os motivos de tal ataque da parte dos apoiantes de D. Pedro de Loulé numa página ou blogue a quem tão amavélmente os recebeu que houve a necessidade de os apoiantes de D. Rosário, aliás sem ele saber, libertarem para a opinião publica essas fotos no sentido de fazer entender aos apoiantes de D. Pedro que fica mal atirar pedras a quem bem nos quer e trata.
Quanto aos comentários de D. Pedro sobre a situação dinástica de D. Rosário, tal se devia a uma profunda ignorancia do direito internacional e outras questões por parte de D. Pedro e do seu jurista, aliás um jurista tendencioso que nunca poderia defender a nossa posição , uma vez que o seu papel é defender a de D. Pedro. Os advogados em geral defendem o que lhes interessa.
Para terminar, apenas um comentário, esta entrevista pode ter sido para Duarte Pio o golpe de misericórdia e para alguém o revês de ter apostado no cavalo errado!
PauloPatena

Luzíadus
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 742
Registado: 8 de janeiro de 2009 às 06h11
Localização: Olhão - Reino do Algarve

Mensagem por Luzíadus »

Pedro Reis Escreveu:
Luzíadus Escreveu:Então mas o Duque de Loulé não tinha abdicado dos Direitos da Coroa??
Elabore lá mais um pouco s.f.f.

Devo ter saltados essas folhas no que tenho lido acerca das objecções à casa de Loulé, pois desconheço tal facto.
José Tomaz Mello Breyner: "Se leu o livro do Filipe Loulé verificará que este coloca a sua familia na linha de sucessão imediatamente a seguir à familia do Senhor D. Duarte, antes dos van Uden mas a seguir ao Senhor D. Duarte, seus filhos e seus irmãos.

Por outro lado nunca ninguém ouviu o actual Duque de Loulé dizer que é pretendente ao trono de Portugal e que está à frente do Senhor D. Duarte na linha de sucessão ao trono, pelo que não consigo entender esta obsessão ."

Avatar do Utilizador
Beladona
Regente
Regente
Mensagens: 2985
Registado: 23 de abril de 2007 às 17h13
Localização: Algarve

Mensagem por Beladona »

Caros amigos

Também eu achei esta, uma entrevista muitíssimo interessante, elucidativa e oportuna, por nos mostrar um pouco da individualidade em si mesma, pela frontalidade e objectividade das respostas dadas...gostei muito.

Beladona

Pedro Reis
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 586
Registado: 11 de maio de 2007 às 17h12
Localização: Santa Cruz

Mensagem por Pedro Reis »

Luzíadus Escreveu:
Pedro Reis Escreveu:
Luzíadus Escreveu:Então mas o Duque de Loulé não tinha abdicado dos Direitos da Coroa??
Elabore lá mais um pouco s.f.f.

Devo ter saltados essas folhas no que tenho lido acerca das objecções à casa de Loulé, pois desconheço tal facto.
José Tomaz Mello Breyner: "Se leu o livro do Filipe Loulé verificará que este coloca a sua familia na linha de sucessão imediatamente a seguir à familia do Senhor D. Duarte, antes dos van Uden mas a seguir ao Senhor D. Duarte, seus filhos e seus irmãos.

Por outro lado nunca ninguém ouviu o actual Duque de Loulé dizer que é pretendente ao trono de Portugal e que está à frente do Senhor D. Duarte na linha de sucessão ao trono, pelo que não consigo entender esta obsessão ."
Obrigado.

Desconheço o teor do livro.

O segundo parágrafo é mais uma opinião que um facto.

Responder